segunda-feira, 10 de dezembro de 2012

Jejum e Oração Egoístas – Zacarias 7


A profecia do sétimo capítulo foi dada a Zacarias, exatos dois anos passados desde a primeira, narrada no seu livro, porque aqui se afirma que a Palavra do Senhor lhe veio no quarto dia, do nono mês, do quarto ano, do reinado de Dario (v. 1).
A amargura estava instalada no coração de muitos judeus, especialmente dos que eram de Betel, porque estavam protestando que haviam suplicado o favor do Senhor, jejuando e chorando, por tantos anos, e as coisas não haviam mudado para melhor (Zac 7.2,3). 
Mas o Senhor mandou lhes dizer que não foi para Ele que haviam jejuado e pranteado nos setenta anos, em que estiveram no cativeiro em Babilônia (v. 4,5).
Eles haviam procedido da mesma maneira que os seus pais, quando ainda se encontravam em Judá, antes do cativeiro, e que não haviam dado ouvido aos profetas, que lhes haviam exortado a deixarem a iniquidade, e a praticarem o jejum que é agradável ao Senhor, como por exemplo o fizera o profeta Isaías, que lhes havia alertado e admoestado (Is 58) quanto ao fato de buscarem ao Senhor apenas para serem atendidos os próprios interesses deles, e não os do Senhor (v 6, 7).
Aquela geração que havia vindo do cativeiro foi também repreendida por Deus, através de Zacarias, quanto ao mesmo erro, que havia sido cometido pelos seus antepassados, indagando-lhes o seguinte:
“quando comeis e quando bebeis, não é para vós mesmos que comeis e bebeis?” (v. 6).
O ímpio come e bebe para si, mas o crente deve comer e beber para Deus, ou seja, para ter saúde e vida para poder servir-Lhe.
Então foram descritos nos versos 8 a 14, as repreensões e admoestações que o Senhor havia dirigido aos seus antepassados, pelos profetas antigos, conforme podemos ver por exemplo no texto de Isaías 58; para que  soubessem qual era o motivo de seus jejuns, prantos e orações não estarem sendo ouvidos pelo Senhor; e não somente isto, por tê-los espalhado pelas nações, em face da falta de arrependimento, embora tivessem sido repreendidos por Deus, por meio dos Seus profetas.  
Se nossa devoção se mostra ineficaz, quanto à produção de um viver abençoado diante do Senhor, o motivo desta ineficácia sempre será achado em nós mesmos, e nunca na falta de desejo de Deus em nos abençoar.
Atos externos de religião que não sejam acompanhados por uma sincera santificação de coração, de quem se empenha na prática da justiça evangélica, jamais nos trarão um viver abençoado, ao contrário, nos tornarão sujeitos aos juízos e correções de Deus.



“1 Aconteceu no ano quarto do rei Dario, que a palavra do Senhor veio a Zacarias, no dia quarto do nono mês, que é quisleu:
2 Ora, o povo de Betel tinha enviado Sarezer, e Regem-Meleque, e os seus homens, para suplicarem o favor do Senhor,
3 e para dizerem aos sacerdotes, que estavam na casa do Senhor dos exércitos, e aos profetas: Chorarei eu no quinto mês, com jejum, como o tenho feito por tantos anos?
4 Então a palavra do Senhor dos exércitos veio a mim, dizendo:
5 Fala a todo o povo desta terra, e aos sacerdotes, dizendo: Quando jejuastes, e pranteastes, no quinto e no sétimo mês, durante estes setenta anos, acaso foi mesmo para mim que jejuastes?
6 Ou quando comeis e quando bebeis, não é para vós mesmos que comeis e bebeis?
7 Não eram estas as palavras que o Senhor proferiu por intermédio dos profetas antigos, quando Jerusalém estava habitada e próspera, juntamente com as suas cidades ao redor dela, e quando o Sul e a campina eram habitados?
8 E a palavra do Senhor veio a Zacarias, dizendo:
9 Assim falou o Senhor dos exércitos: Executai juízo verdadeiro, mostrai bondade e compaixão cada um para com o seu irmão;
10 e não oprimais a viúva, nem o órfão, nem o estrangeiro, nem o pobre; e nenhum de vós intente no seu coração o mal contra o seu irmão.
11 Eles, porém, não quiseram escutar, e me deram o ombro rebelde, e taparam os ouvidos, para que não ouvissem.
12 Sim, fizeram duro como diamante o seu coração, para não ouvirem a lei, nem as palavras que o Senhor dos exércitos enviara pelo seu Espírito mediante os profetas antigos; por isso veio a grande ira do Senhor dos exércitos.
13 Assim como eu clamei, e eles não ouviram, assim também eles clamaram, e eu não ouvi, diz o Senhor dos exércitos;
14 mas os espalhei com um turbilhão por entre todas as nações, que eles não conheceram. Assim, pois, a terra foi assolada atrás deles, de sorte que ninguém passava por ela, nem voltava; porquanto fizeram da terra desejada uma desolação.” (Zacarias 7.1-14)

Nenhum comentário:

Postar um comentário